24 de março de 2015

Florianópolis - Brasil

Capital de Santa Catarina, Florianópolis - ou Floripa - é também chamada de "Ilha da Magia", por conta de suas belas paisagens. Além de praias bonitas, possui vida noturna agitada e uma arquitetura histórica (açoriana) muito interessante. Nessa postagem, vou falar especialmente das regiões do centro e do leste.
No centro da cidade, o turista pode passear entre diversos prédios históricos, dos quais se destacam o Mercado Municipal (acima), o Museu Histórico e a Casa Alfândega (onde hoje funciona como loja de artesanatos).

Em minha visita, o mercado estava em reforma e não pude aproveitar a praça de alimentação (parece bom para petiscar!), mas pretendo voltar na próxima viagem. Ainda na região, estão alguns pontos turísticos como a famosa ponte Hercílio Luz (um cartão-postal da cidade - ao lado), o Forte Santana e a figueira centenária situada na praça XV de novembro. O centro é pequeno e tem poucos atrativos, mas - ainda assim - vale a visita.
Os grandes pontos turísticos da capital estão em torno de suas praias. Entre as principais da região leste, destacam-se a Mole e a Joaquina.

Praia Mole
Rodeada de paisagens naturais, a Praia Mole é uma das praias onde não há como se sentir em uma grande cidade. Existem algumas opções de hotéis e restaurantes, mas nada de prédios ou barulho: somente morros e o mar. Com águas frias e agitadas, é muito comum a prática do surf. É considerada bastante perigosa: se quiser entrar no mar, é melhor optar por outro local. Vale a pena pela paisagem, que lembra regiões como Ilha do Mel-PR e Trindade-RJ.

Lagoa da Conceição
Outro ponto que achei bem interessante é a Lagoa da Conceição. Com águas limpas e calmas, atrai muitos moradores e turistas por conta da paisagem e do ambiente tranquilo. Muita gente vai para tomar sol, descansar ou petiscar em uma das lanchonetes do entorno.
No local, é possível encontrar mercados, restaurantes e pontos de ônibus que dão acesso ao resto da capital. As opções gastronômicas são simples (e com preços relativamente bons), mas gostei bastante do que provei por lá. Se quiser algo elaborado, o ponto gastronômico da região é ao norte da Praia Mole, na Barra da Lagoa (bem mais turístico e agitado do que a lagoa em si).




Lagoa da Conceição




Ainda no leste da ilha, vale a pena conhecer a Praia da Joaquina (acima). O local reune um público similar ao da Praia Mole: jovens, surfistas e alguns turistas. No entanto, Joaquina é um pouco mais agitada e mais estruturada, comparada à sua vizinha: maior quantidade de pessoas, além de mais bares e restaurantes.
Além de esportes marítimos, por conta das suas dunas altas, é muito comum a prática de "surf de areia" (sandboard). Mesmo não praticando nenhum desses esportes (sedentária), vale muito a pena pela paisagem. Fiquei horas apreciando a vista da orla de cima das pedras!

Quantos dias ficar: Fiquei três dias e consegui conhecer o centro e o leste. Se a intenção é conhecer um pouco de cada região, recomendo, ao menos, uma semana.
- Onde ficar: Eu fiquei pertinho da Praia Mole e gostei! Mas as opções de hospedagem são bem variadas. Só não recomendo ficar no centro, pois durante a noite, parece ser bastante vazio.
- Transporte: Super tranquilo andar de ônibus, tudo tem fácil acesso. As coisas são um pouco distantes entre si, então andar a pé só funciona para algumas regiões. Prepare-se para gastar com táxi e esperar ônibus!
- Como chegar: De avião, é possível chegar de qualquer capital brasileira (com conexão no sul ou sudeste). Já a rodoviária é conectada com as capitais São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, além das cidades da região. Tanto do aeroporto quanto da rodoviária, é possível chegar de ônibus a diversos pontos da ilha.
- Moeda: Além do real em espécie, a maioria dos estabelecimentos (mesmo pequenos) aceita cartão. Como a cidade recebe muitos estrangeiros, acredito que alguns hotéis e restaurantes aceitem dólares também.
Fachada histórica no centro
- Locais: Não deixe de conhecer o Mercado Municipal, a Lagoa da Conceição e as praias Mole e Joaquina! O sul parece bem interessante para quem gosta de praias e de arquitetura histórica. Esse é meu plano para a próxima ida!
Figueira centenária
- Cuidados: Achei tranquilo, é só tomar os cuidados básicos de qualquer outra cidade. 
- Culinária: Como em qualquer capital, é possível encontrar diversos tipos de culinária. Porém, como todas as cidades praianas, peixes e frutos do mar são muito comuns.
- Preços: Não é barato, a média de preço é de cidades como São Paulo.

Um comentário: